Dia da água: 75 milhões de brasileiros ainda não têm acesso a saneamento

A segurança no transporte de produtos químicos
24 de setembro de 2019
COVID-19: prevenir com água e sabão (que água?)
13 de abril de 2020

Dia da água: 75 milhões de brasileiros ainda não têm acesso a saneamento

Presente em uma extensa massa no planeta e fonte de vida para a humanidade, a água é considerada símbolo de riqueza, um recurso importante para o mundo. Não por acaso, um dos 17 objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU é o de assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e o saneamento para todos. Com o objetivo de colocar em discussão a importância de preservação deste recurso, o dia 22 de março é reconhecido como o Dia Internacional da Água.

A falta de saneamento básico pode comprometer na educação e crescimento da população. De acordo com um estudo do Instituto Millenium, no Brasil, a Frequência Escolar Proporcional – síntese de quatro indicadores que medem se os alunos cursam a série compatível com sua idade, está fortemente correlacionada com o acesso a saneamento básico, água encanada e energia elétrica.

O estudo revela também que cerca de 85% dos municípios brasileiros são atendidos por serviços de tratamento de água, esgoto e coleta de lixo, mas isso deixa ainda 75 milhões de pessoas desprovidas destes serviços básicos. E esta é uma das várias facetas de uma realidade que pode ser transformada através dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), um apelo universal da Organização das Nações Unidas à ação para acabar com a pobreza, proteger o planeta e assegurar que todas as pessoas tenham paz e prosperidade.

Focado em Água Potável e Saneamento, o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 6 visa assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos. Quando olhamos para o cenário brasileiro, dados do Instituto Trata Brasil revelam que, atualmente, apenas 41,5% dos municípios possui o Plano Municipal de Saneamento Básico, regulamentado ou não. Apesar de ainda longe do ideal, os pontos monitorados pelo levantamento, como abastecimento de água, esgotamento sanitário, limpeza urbana, manejo de resíduos sólidos, drenagem e manejo de águas pluviais vêm apresentando notável crescimento de atendimento nos últimos anos.

Mesmo avançando em distribuição de água potável, ainda se perde muito neste processo no Brasil. Ao distribuir água para garantir consumo, os sistemas sofrem perdas de 38,45% – um cenário muito preocupante. A Região Norte é a que mais perde neste processo: 55,53%.
Portanto tão importante quanto trazer à tona esta discussão, é necessário reforçar que cada um de nós, tem sua responsabilidade perante este cenário e pode assumir um compromisso com os ODS para mudar este cenário. Para saber mais sobre os ODSs e a Agenda 2030, acesse: https://nacoesunidas.org/pos2015/

Neste Dia Mundial da Água, assuma seu papel para mudar este jogo no Brasil e no Mundo.

*Elias Oliveira é gestor institucional da unidade de negócio Sabará Químicos e Ingredientes, pertencente ao Grupo Sabará, empresa que oferece ao mercado soluções integradas para o tratamento de águas industriais e saneamento básico, garantindo há mais de 60 anos o fornecimento de produtos, equipamentos, assistência técnica e prestação de serviços para a desinfecção de águas em diversos processos industriais.

É membro da Comissão de Estudo de Produtos Químicos para Saneamento Básico, Água e Esgoto da ABNT; Membro da Comissão de Manuseio e Transporte da ABICLOR (Associação Brasileira da Indústria de Álcalis, Cloro e Derivados); Membro do Comitê Gestor Prodir (Processo de Distribuição Responsável) da ASSOCIQUIM; Membro da Comissão de Estudos e Prevenção de Acidentes no Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos da Secretaria de Logística e Transportes do Estado de São Paulo; e Coordenador da Sub Comissão de Estudos e Prevenção de Acidentes no Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos da Região de Campinas.